Logística da Guerra: tão importante quanto apontar um canhão!

A invasão inicial da Ucrânia pelos militares russos provou ser um erro tático, estratégico e de logística de guerra surpreendente, marcado pela escassez de alimentos e combustível, o abandono de veículos armados, a perda de aeronaves e a morte de soldados.

Poder Militar x Falhas de Planejamento

Desde o começo da guerra na Ucrânia, o calcanhar de Aquiles do exército russo tem sido a logística. Vladimir Putin queria uma operação relâmpago, um golpe, que ia criar surpresa, mas no entanto, alguns erros de logística de guerra estão frustrando seus planos, entre eles:

Veículos inapropriados

Para um terreno tão maltratado pelo inverno e a neve, os russos erraram feio ao querer deslocar tanques por longos trajetos pelo território ucraniano.

Além de lentos, os tanques consomem mais combustível e as suas esteiras necessitam de manutenção frequente, o que retarda o avanço dos demais blindados.

Outro problema é a dificuldade dos caminhões de suprimentos superarem o solo lamacento e algumas regiões com muita neve. Responsáveis por nutrir as tropas, é comum ver alguns caminhões atolados ou ficando pelo caminho.

Falta de coordenação no avanço das tropas

Enquanto pelo ar os caças intensificam o bombardeio, por terra, as forças militares só conseguem chegar aos locais atingidos dias depois, dando tempo suficiente para as tropas ucranianas se organizarem e montarem barreiras de resistência.

Falta de Combustível

Um dos erros mais bizarros da falta de planejamento logístico do exército russo, foram os problemas com combustível.

É comum ver veículos blindados abandonados sem combustível, obrigando os militares a marchar sem a cobertura devida. Durante os primeiros dias de guerra, centenas de soldados russos foram abatidos por andarem isolados em áreas dominadas pela resistência ucraniana.

Falta de comida

De acordo com a inteligência americana, havia pelo menos, 190 mil soldados russos na fronteira com a Ucrânia, e destes, 80% avançaram para tomada do país.

A falta de logística de guerra, fez com que as tropas russas ficassem sem suprimentos básicos como água e comida. Imagens de soldados saqueando um supermercado rodaram o mundo, expondo a fragilidade e a falta de planejamento logístico.

Falta de suprimentos bélicos

O avanço das tropas até a capital Kiev simplesmente estagnou. Durante vários dias, colunas motorizadas estavam paradas esperando para serem reabastecidas.

As capacidades de reabastecimento são um problema recorrente no exército russo. E isso é reforçado pelo fato de que claramente alguns dos soldados não esperavam lutar. Muitos deles ficaram surpresos com o que estava acontecendo.

A falta de logística de guerra eficiente pode comprometer a missão

Desde a Guerra do Golfo, e mesmo desde o desembarque dos Aliados na Normandia, sabemos que para um soldado na linha de frente, são necessárias várias dezenas na retaguarda para fornecer munição, comida, combustível... não dá para improvisar!

Da mesma forma que a logística industrial (que aliás inspirou), a logística de guerra requer meios adequados, organização, antecipação, planejamento e, sobretudo, pessoal perfeitamente treinado e competente.

Como tal, representa um elemento essencial que determina o sucesso no teatro de operações. Nos próximos dias veremos se essa suposta fraqueza se confirma.

SIGA-NOS NO LINKEDIN

@deverhum-consulting

 

2 Comments

  1. Eduardo e Andrei, excelente texto para explicar uma boa parte das dificuldades da Rússia na Ucrânia. Chega o momento em que a Logística da linha de suprimentos e manutenção se torna mais importante que os próprios tanques e outros veículos militares… Abraços!

    1. Muito obrigado pela sua contribuição ao texto Yoshio. Com certeza a logística de suprimentos está tornando-se cada dia mais importante em um mundo Globalizado e várias opções de produtos, transportes, soluções e serviços. O investimento de tempo para uma análise mais detalhada das opções, trazem ganhos logísticos significativos.
      Abraços

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: