Matéria-Prima ou Insumo? Entenda a diferença.

Quando falamos em matéria-prima e em insumos, geralmente, consideramos esses dois termos como sinônimos, mas na visão técnica e administrativa isso pode ser consequência de um erro de interpretação.

No caso de projetos formais apresentados nos ambientes de negócio externos e internos, é importante fazer a abordagem correta e conhecer o significado de cada termo de forma correta.

Neste artigo, apresentaremos os conceitos de cada palavra e sua importância para o mercado.

O que é matéria-prima?

Esse tipo de material ou fonte de trabalho se refere ao objeto utilizado na produção de um produto. Se uma bolsa é de couro, ela precisará de couro in natura ou sintético para ser produzida.

No processo de planejamento e produção, esse objeto torna-se agregado ao produto final ou ao seu processo de fabricação até a finalização da criação e disposição do artefato.

Na fábrica de tecidos, por exemplo, dedicada para a fabricação de camisas de algodão, é imprescindível a compra de linhas de algodão para a produção de camisetas e outros artigos de vestuário.

Material para uso e consumo

Outro termo muito usado no setor de produção é o “uso e consumo”, referente às principais atividades comerciais, operacionais e administrativas da corporação.

O uso e consumo pode ser referente aos papéis e canetas usados no escritório, ao cafezinho feito na copa da empresa, à graxa utilizada na máquina da fábrica, na tinta da impressora e outros tipos de produtos consumidos internamente no dia a dia de uma empresa.

​O que é insumo?

Essa palavra se tornou muito comum entre o público leigo ao ser muito citada nas telenovelas e nos filmes. Essa palavra costuma ser usada como sinônimo de matéria-prima pelo fato de também abrangê-la no processo de produção.

O insumo pode se referir à matéria-prima principal para a produção como a argila para a produção dos tijolos, mas ao mesmo tempo, para a produção do mesmo tijolo também abrange o forno e todos os ativos necessários para a fabricação do tijolo.

Principais diferenças

Dessa forma, mesmo que os dois conceitos sejam muito similares, as suas definições técnicas são diferentes no dia a dia corporativo e no fechamento de orçamentos.

Quando falamos em matéria-prima, por exemplo, podemos dizer que existem três tipos, a vegetal, a animal e a mineral. Lembrando que cada tipo pode ser aplicada ao processo produtivo de forma natural ou transformada.

Quando nos referimos ao insumo, estamos falando de um objeto ou ferramenta que permite a produção de um produto ou prestação de um serviço. Há três tipos de insumos, os naturais, do trabalho e capital.

O insumo abrange a matéria-prima, a máquina utilizada, a mão de obra, a energia elétrica e todos os meios aplicados para a produção.

Conclusão

Neste artigo, apresentamos de forma simples as principais diferenças entre os dois termos e ainda apresentamos o conceito de “uso e consumo” para orientar melhor os empreendedores.

Vale a pena conhecer esses conceitos para orientar projetos e orçamentos da melhor forma possível.

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: