Tipos de riscos financeiros

Principalmente, em tempos de crise e de incertezas, os riscos financeiros precisam ser evitados e, em determinados casos, administrados com o maior cuidado possível.

Sabemos que empresas podem correr riscos quando investem de forma arrojada na Bolsa de Valores, quando adquirem equipamentos mais avançados para adequação de suas linhas de produção ou quando decidem expandir suas linhas de produtos em mercados saturados com a presença de outras marcas de peso.

Porém, existem riscos de menores portes que podem surgir com o descontrole das contas ou má gestão nas práticas administrativas aplicadas no dia a dia organizacional da empresa.

Porém, é possível desenvolver e aplicar estratégias de mitigação de erros e ameaças de mercado, elevando dessa forma a resiliência e a capacidade de resposta financeira da corporação.

Por outro lado, antes mesmo de reconhecer os principais riscos, torna-se possível conhecer os principais tipos que podem atingir a empresa é um projeto de alto envolvimento.

Tipos de riscos financeiros

Como relatamos no início deste artigo, ameaças e desequilíbrios nas finanças podem ocorrer em qualquer tipo de empresa, independente de seu porte e exposição de mercado.

Geralmente, situações ameaçadoras podem surgir com a desvalorização dos ativos da empresa ou de seus produtos no mercado, gerando perda de receita e de reserva financeira.

Risco de perda de crédito

Mesmo quando a empresa possui capital de giro organizado e reservas, é importante manter o crédito no mercado para ser atendida pelo sistema financeiro em casos de financiamento de imóveis comerciais, aquisição de equipamentos, contratações extraordinárias e investimentos em inovação tecnológica de alto envolvimento antes não previstos no projeto comum da empresa.

Mas, quando falamos em risco de crédito, nos referimos à possibilidade dos clientes da empresa não pagarem pelas compras feitas à prazo com a sua empresa, gerando pendências, inadimplências e queda no fluxo de caixa.

Esse fator poderá gerar também perda de crédito da empresa em relação às instituições bancárias e de financiamento.

Risco na liquidez

Todo tipo de empresa ou negócio precisa de liquidez, e ela está ligada à existência de recursos financeiros para cobrir obrigações a curto prazo. Quando a empresa não tem condições para honrar seus compromissos de curto prazo, ela começa a ter menos liquidez para quitar suas dívidas ou compromissos.

No caso de empresas de médio e grande porte, é comum dimensionar ativos e demais valores imobiliários como parte integrante da liquidez a ser calculada na empresa, podendo converter parte de seus patrimônios como fonte de geração de dinheiro para pagar dívidas e investidores.

Risco operacional

Esse tipo de risco é referente ao conjunto de perdas causadas por situações internas na rotina gestora e produtora da empresa, incluindo falhas humanas, erros no sistema, erros no sistema e inadequação de equipamentos.

Nesse ponto, o investimento certo em qualidade e projeto de melhorias pode ajudar na aplicação de processos mais eficientes.

Risco presente na taxa de juros

Dentre os fatores externos, pode-se indicar a alteração e elevação da taxa de juros no mercado, o que pode encarecer os empréstimos para financiar a abertura de novos negócios ou pontos de produção.

Conclusão

Para mitigar riscos e ameaças às atividades de mercado da empresa é fundamental planejamento e constante monitoramento para elevar as forças produtivas da empresa em seu mercado de atuação.

Veja também:

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: