Supply Chain 2021 e Retomada da Economia

Em 2021 o Supply Chain norteará os investimentos de muitas empresas e investidores no período pós-pandemia.

Segundo especialistas, a pandemia do coronavírus deixará como legado muitas transformações na forma de organizar mercados, interação de negócios e o desafio da recuperação de capitais e geração de empregos.

Porém, ter uma visão estratégica começa no processo de recuperação da cadeia de suprimentos. Considerando uma primeira visão, países e empresas com indústria forte terão mais capacidade para superar os momentos mais difíceis pós-pandemia e conseguirão planejar o posicionamento de mercado.

Muitas empresas investirão na redução de estoques ou na ampliação da linha de produtos que possam atender diferentes tipos de perfis de demanda.

De todo modo, repensar a logística de uma empresa será um dos pilares mais fundamentais para reforçar a corporação para o período de recuperação econômica.

Supply Chain em 2021

Agora, neste exato momento é fundamental que as empresas repensem os seus projetos e planejamentos para o próximo ano, a começar com os preços de insumos, métodos de produção e organização.

Essas atitudes passam também pela construção de uma nova visão logística da empresa. Estamos falando da gestão de cadeia de suprimentos e de um processo de replanejamento da própria cadeia de suprimentos para 2021, considerando as variáveis de disponibilidade, distância, valores, preços e alocação de produtos.

Superando a crise

Em períodos de crise de saúde e econômica, é importante que a empresa tenha a capacidade de prever cenários de oportunidades e de ameaças.

Em certos casos, as empresas ainda terão que adotar protocolos de segurança para reduzir o risco de contaminação de vírus e bactérias em seus produtos, prevenir riscos e elevar a segurança do transporte nas estradas, lembrando que em tempos de crise aumenta o risco de acidentes e de roubo de cargas.

Investir em novos métodos de entrega

Além do transporte cujo modal principal é o rodoviário e o aeroviário, determinadas empresas do Brasil poderão se sentir incentivadas a selecionar outros tipos de modais para reduzir custos.

Empresas menores, além de utilizar os correios, poderão optar pelos aplicativos de entrega para efetuar a entrega de produtos dentro de sua própria cidade identificando micro células de consumo em sua proximidade, e investindo em grandes modais para atender clientes e revendedores em áreas mais distantes.

Independente do porte da empresa, o processo de entrega através de aplicativos como Uber e Rappi já está se tornando na grande realidade para as economias emergentes, principalmente, no Brasil e na América Latina em geral.

Outros fatores

A seleção de matéria-prima e ingredientes mais baratos também será um fator crucial para a tomada de decisões de uma empresa.

Para intensificar o projeto logístico, além de reduzir custos com transporte, a empresa deverá repensar os seus custos de matéria-prima, insumos, contratação de serviços e seguro.

Portanto, ambientes de negócio como crescimento das vendas online, fragmentação dos serviços de transporte e entrega de produtos e busca por redução de custos farão as empresas repensarem a gestão de cadeia de suprimentos a curto prazo.

Leia também:

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: