Preço dos Combustíveis e seu impacto nas Operações Logísticas

Em virtude da pandemia e da pressão gerada pela alta demanda por energia, verificamos crescente alta no preço dos combustíveis, sendo que esse aumento tem gerado impactos no ambiente econômico do Brasil e do mundo, gerando perdas para diferentes cadeias de armazenamento e de distribuição.

São impactos que atingem diferentes produtos de diferentes segmentos, pois no planejamento logístico o setor de transporte é um dos componentes mais valiosos de todo o processo acumulando custos e despesas que implicam revisão de cálculo no setor agropecuária, industrial e no setor de serviços.

A última vez que o Brasil testemunhou uma alta nos preços da gasolina nesse ritmo foi entre os anos de 2017 e 2018 com as paralisações dos caminhoneiros e das revisões nos preços desse produto no mercado interno do Brasil.

Inicialmente, podemos ressaltar que a nossa cadeia de distribuição e boa parte dos projetos de logística se baseiam em transportes rodoviários abastecidos por gasolina e diesel, o que encarece ainda mais a logística em nosso país.

Preços dos combustíveis e os seus impactos na logística

Quando o setor de distribuição de produtos e insumos depende de rodovias e de modais que dependem da gasolina e do diesel ele se torna facilmente influenciado pelos valores da gasolina e dos derivados do petróleo.

Posteriormente, esse tipo de elevação força as corporações a repassar o reajuste para o preço final de insumos a serem fornecidos para outras empresas e para o preço do produto final a ser ofertado no atacado e no varejo para o cliente final.

​Todo o processo de planejamento, transporte e armazenamento tornam-se mais caros e sobrecarregam a cadeia de suprimentos e de produção, mesmo que a corporação se esforce para não repassar a elevação dos custos para os seus parceiros e consumidores finais, ocorre o momento no qual a conta não fechará mais e será logo obrigado a repassar o aumento adiante.

Outros impactos

Dentre os outros impactos causados pelo aumento da gasolina, podemos ainda citar a retração da indústria, com a elevação dos custos de produção, de transporte e do valor da venda de cada item, as vendas caem no primeiro momento gerando queda na produção.

A queda na produção, além de reduzir o ritmo industrial também reduz os investimentos em tecnologia industrial e na geração de empregos.

A importância da logística

Em tempos de alta da demanda por energia e de aumento do valor do combustível, as empresas e o setor industrial precisam procurar estratégias para reduzir custos visando protelar o máximo possível o repasse de preços ou amenizar os impactos da seguinte forma:

- Acumulando maior quantidade de pedidos para transportar e dessa forma otimizando o uso de cada transporte;

- Reduzindo custos em outras áreas para abrir brechas para redução do preço final dos produtos a serem entregues no mercado;

- Contratar novos prestadores de serviços no setor de transporte que consigam fazer mais cobrando menos, porém mantendo a qualidade;

- Manter a remuneração qualitativa dos colaboradores como forma de reduzir falhas ou desvios de resultados;

- Rever o planejamento de produção e de distribuição para verificar oportunidades de inclusão de parcerias que ajudem a reduzir custos;

- Pensar em utilizar outros modais de transporte ou meios de transportes que utilizam combustível alternativo e mais barato dependendo das distâncias a serem percorridas.

A logística estratégica

Nesse tocando percebemos a logística como um setor de conhecimento prático que permite avaliar e planejar, desde a produção até oferta do produto final, as melhores práticas de armazenamento e distribuição de produtos e serviços inclusos para o consumidor final, incluindo ainda a missão da logística reversa.

Conclusão

Portanto, em tempos de alta do combustível é possível buscar por alternativas para reduzir os impactos sobre os preços e sobre a produção da empresa.

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: