Tendências do Mercado de Embalagens Pós-Crise

O mercado de embalagens brasileiro é o quinto maior do mundo, com a capacidade de movimentar em média mais de trinta bilhões de dólares ao ano, equivalente a 1,5 % do PIB.

Ao nos referirmos sobre esse mercado estamos indicando a produção de embalagem de matérias-primas, distribuição de materiais para a embalagem, design de embalagem e posteriores processos de logística reversa e de reciclagem.

Esse setor apresenta grandes relações com as questões de redução de custos, segurança para o produto e respeito ao meio ambiente.

Porém, em períodos de pandemia, a partir do ano de 2020, especialistas do setor começarão a reavaliar os potenciais desse mercado e os reais impactos da pandemia sobre o setor.

Entre os anos de 2014 e 2018, esse setor registrou crescimento de 1,1 % ao ano em média, com previsões de crescer 1,6% até o ano de 2024. Porém, as previsões precisaram ser revistas devido aos impactos da pandemia.

O mercado de embalagens na pós-crise

Com a pandemia do coronavírus de 2020 e a consequente crise social e econômica provocada pela pandemia, esse setor passou a sofrer com falta de insumos, deficiência no fornecimento e elevação de preços.

No segmento do papelão ondulado houve fortes impactos entre os meses de abril e maio de 2020, gerando elevação do valor e perdas de desempenho nas vendas em comparação com o mesmo período em 2019.

Porém, nos outros meses do ano, o setor concentrou resultados positivos com crescimento médio de 2% a 3% a cada mês.

O principal desafio atual e previsto para o período pós-crise é adequar o setor de embalagens como um todo considerando que alguns segmentos não trabalham mais com estoque, atendendo o mercado médio com produção sob encomenda.

A importância desse mercado

No setor de alimentação, por exemplo, tem aumentado o comportamento do consumidor comum que busca produtos em porções mais individualizadas. Esse comportamento estimula ainda mais a indústria da embalagem.

Além desse fator, temos consumidores que buscam produtos específicos sem glúten, sem açúcar ou sem lactose, gerando ampliação do guarda-chuva de produtos e incentivando a produção de mais embalagem.

Considerando o comportamento recente dos compradores médio e das novas demandas que surgem no cenário pandêmico e de pós-pandemia, a tendência para o futuro é atender a conveniência do cliente e criar embalagem funcional.

Outro fator é incentivar o reaproveitamento das embalagens e evitar o desperdícios dos materiais, com o olhar sobre as questões ambientais.

Evolução

Seja para embalagem de grande ou de pequeno porte, a grande preocupação é atender às necessidades de cada perfil de cliente.

No período pós-crise será importante oferecer soluções que ajudem a reduzir custos, que facilite a vida das empresas, que simplifique o consumo de produtos e estimule o mercado.

Não podemos deixar de indicar a necessidade de produzir insumos com menor impacto sobre o meio ambiente e que de fato incentivem a produção de embalagem econômica e com preço acessível.

Leia também:

Condomínios Logísticos: Definição, Vantagens e Desvantagens

Ao investir em condomínio logísticos, a empresa busca otimização de tempo, investimento e gestão.

Quando nos referimos aos condomínios logísticos, estamos lidando com áreas selecionadas com a devida infraestrutura para oferecer serviços compartilhados para atender diferentes perfis de empresa concomitantemente.

Geralmente, essa infraestrutura é composta por direcionamentos de transporte, docas de entrada e saída de mercadorias, área de armazenagem, equipamentos para movimentação e toda estrutura para armazenar cargas leves e pesadas de diferentes tipos de empresas.

Nos últimos tempos, muitas empresas começaram a investir nesse tipo de serviço para reduzir custos e simplificar operações de estoque e planejamento de logística.

Qual é a importância dos condomínios logísticos?

Na prática, o local é similar a de um armazém comum, mas com uma rotina operacional diferenciada. Em sua organização, além de empilhar mercadorias, nesse tipo de condomínio temos as atividades atreladas ao cross docking.

Com uma rotina bastante intensa, a metodologia cross docking se refere a um formato logístico que abrange a entrada e saída de mercadorias ao mesmo tempo que ela chega no local. Esse método torna-se competente com o uso de transporte adequado para a atividade.

O transporte fica no ponto certo para realizar a entrada ou saída de cada tipo de mercadoria, sendo o objeto desembarcado em uma doca e repassada para outro veículo que aguarda em outra doca para completar o trajeto.

Dessa forma, nesse tipo de condomínio não há muito tempo de armazenagem, somente a movimentação das cargas movidas entre os veículos.

Mais segurança

Ao contratar os serviços desse tipo de armazenamento e transporte de cargas, a empresa contratante também conta com alto nível de qualidade e de segurança dos serviços.

O local, além do serviço de transporte, também conta com porteiros, sistema de portões eletrônicos, monitoramento realizado por câmeras e até mesmo a presença de guardas treinados e armados.

Mais serviços

Geralmente, esse tipo de condomínio também possui serviços de limpeza e oferece amplo estacionamento para clientes e funcionários.

Locação

Os locais definidos para cada perfil de empresa ou cliente são alugados, sendo os custos naturalmente divididos pelos usuários. Nesse caso o terreno pertence à construtora ou ao administrador do condomínio.
Incentivos

Além de incentivos fiscais e redução de custos, utilizar esse tipo de serviço tem sido cada vez mais frequente para evitar perdas de produtos em armazéns mal planejados, evitar o trânsito nas rodovias e cidades para locar o armazenamento em diferentes pontos e para poder contar com sistema integrado de movimentação de cargas atualizado.

Investimento certo com mais vantagens

Ao investir em serviços de condomínio de cargas, a empresa busca ganho de tempo, de dinheiro e modernização no método de administração de seus ativos.

Dentre as principais vantagens desse tipo de condomínio podemos destacar o alto nível de segurança, a redução de riscos de roubos, acesso a outros serviços como restaurante e estacionamento e divisão proporcional dos custos.

Portanto, ao aderir a esse tipo de local de tratamento e direcionamento de cargas e estoques, a empresa terá melhores garantias de segurança e qualidade de serviços. Lembrando que esse tipo de condomínio tem se tornado cada vez mais comum nos EUA e Europa.

Assine nosso blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações.

4 Tipos de Treinamentos fundamentais para equipes de Logística

Atualmente, existem vários tipos de treinamentos para orientar equipes de logística.

É muito importante atualizar os conhecimentos e manter a equipe treinada sob diferentes aspectos.

Seja para aprender a usar um novo equipamento, conhecer as características de um novo produto e gerenciar informações de um modal de transporte, todo tipo de treinamento é fundamental.

Nos dias atuais, em diferentes setores, é fundamental que o profissional se aperfeiçoe e sempre atualize seus conhecimentos. As empresas podem oferecer cursos de longa duração ou treinamentos curtos dentro da própria empresa.

Independente da escolha, é importante que as informações e as práticas apresentadas nos cursos tornem a equipe mais atualizada.

Tipos de treinamento

Além de identificar os tipos de treinamento, é importante que a empresa verifique as reais necessidades da empresa e das atividades de sua equipe.

Existem muitas possibilidades que podem contribuir para a gestão de estoque, setor de compras, modais de transporte, distribuição, entrega e até mesmo para a logística reversa.

A seguir apresentamos os principais tipos de cursos e orientações que podem ajudar a equipe de uma empresa.

1 - Gestão de Cadeia de Suprimentos (Supply Chain Management)

Ao adotar o treinamento de Supply Chain Management, estamos buscando envolver todos os profissionais em todo o processo logístico, partindo da aquisição da matéria-prima, fabricação, qualidade até a venda para o consumidor final.

Através desse curso é possível capacitar os profissionais para gerenciar a cadeia de suprimentos da melhor forma possível.

2 – Projeto empresarial

Quando falamos em logística empresarial, visamos um tipo de curso que oferece aprofundamento do profissional em relação à logística ligada às empresas e suas funções administrativas.

Neste caso, o fator da gestão abrangente é um grande diferencial. Esse curso procura treinar os colaboradores para administrar e trabalhar da melhor forma com os setores logísticos tendo a visão gestora de cada etapa.

3 - Treinamento de Onboarding

Esse tipo de curso é oferecido internamente pela empresa e gerido pelos profissionais mais experientes ou por professores contratados internamente pela organização.
Geralmente, esse tipo de treino pode começar no primeiro dia de trabalho, podendo ser um curso de adaptação com duração curta ou um curso de longo envolvimento com duração de doze meses.

Este processo é indicado, principalmente, para futuros líderes ou colaboradores de áreas específicas.

4 - Treinamento de desenvolvimento de Soft Skills

Quando aplicamos o desenvolvimento de Soft Skills nos referimos às habilidades de convivência que podem ser desenvolvidas a partir da criação de um ambiente de trabalho mais harmonioso e qualitativo para todos.

Visa a criação de habilidades sociais e de habilidades de convivência visando o estabelecimento de uma cultura organizacional positiva.

Dentre as principais habilidades buscadas, podemos citar:

  • Desenvolvimento de comunicação e integração eficiente de informações entre pessoas;
  • Proatividade;
  • Iniciativa focada para a solução de problemas;
  • Formação de líderes;
  • Ética e formação de valores;
  • Cooperação entre colaboradores.

Portanto, é importante que os colaboradores da empresa se mantenham sempre atualizados, independente do tipo de produto ou serviço envolvido com o projeto logístico da empresa.

A Deverhum Consulting é referência em soluções de treinamentos e consultoria em Supply Chain. Clique aqui para solicitar uma proposta ou obter mais informações.

O que faz um consultor de Logística

O consultor de logística é um dos profissionais mais requisitados pelas empresas na atualidade.

Essa área lida com compras, administração de insumos, controle de estoque, transporte, canais de distribuição, orientação para o ponto de venda e o relacionamento com o consumidor final.

Esse profissional precisa ter amplo conhecimento nesta área, além de ter habilidades nas áreas de administração, marketing e negócios. Atualmente, a gestão de produtos, serviços, bens e informações têm sido cada vez mais demandada no mercado e nas empresas.

A importância da logística

Essa área é considerada muito fundamental para a melhor condução dos projetos relacionados à origem e destinação de produtos e serviços.

Muito além do modal de transporte e dos canais de distribuição, cuida sempre do inventário, manuseio do produto, empacotamento, armazenamento, segurança e processo de entrega.

A importância do consultor de logística

Esse tipo de consultoria é importante para solucionar gargalos nas áreas de organização de insumos, estoques, vendas e distribuição, além do setor de compras da empresa.

Em muitos casos, pode ocorrer da empresa realizar vendas e não ter estoque para completar a entrega, ou fazer as entregas fora do prazo previsto.

Essa consultoria pode ajudar a empresa a evitar erros como armazenamento incorreto, erros na recepção e separação de pedidos, além de desperdícios que podem ocorrer com aumento de custos.

Todas as empresas precisam se organizar para manter a produtividade e evitar atrasos. Essas questões podem criar, quando não corrigidas, perdas financeiras e queda na qualidade da gestão de suprimentos.

A consultoria

Ao contratar esse tipo de consultoria, a empresa conseguirá reestruturar todos os processos da empresa, principalmente, para gerar mais eficiência para a cadeia de suprimentos, de forma mais produtiva e econômica.

É importante que o consultor conheça todas as condições da empresa e todas as funções inerentes ao processo produtivo.

As principais etapas

Ao inserir essa consultoria na empresa, é necessário seguir as etapas previstas.

  • Diagnóstico - Através do diagnóstico é possível mapear o cenário logístico da corporação e identificar os pontos fortes e os pontos fracos.
  • Estudo de riscos - Ao buscar analisar os riscos, o consultor e os responsáveis pela empresa poderão avaliar os problemas considerando cada risco envolvendo toda a cadeia de suprimentos.
  • Controle - A consultoria precisa se dedicar para gerar uma cultura de controle, verificando possíveis melhorias a serem inseridas com a eliminação de riscos.
  • Implementação - Depois de todo o estudo realizado, o consultor poderá apresentar uma sugestão de projeto a ser implementado contendo metas, prazos e indicadores de qualidade.
  • Avaliar resultados - Depois de todas as etapas implementadas, é importante que o consultor e as partes responsáveis avalie os resultados alcançados.

O profissional de consultoria costuma ser procurado em virtude de sua experiência, visão de mercado e capacidade técnica para orientar empresas e funções específicas.

Ele ajuda a apontar erros e oportunidades para serem corrigidos, percebidos e aproveitados pela empresa. A sua principal função é oferecer suporte para as empresas, buscando viabilidade econômica e melhores processos.

E se estiver considerando contratar uma consultoria logística, fale com a Deverhum Consulting e surpreende-se com o resultados.