Os 4 Indicadores de Entrega mais importantes para sua empresa

Quando falamos em indicadores de entrega nos referimos a diferentes métodos que buscam melhorar os resultados para a empresa.

Os setores de gestão, administração e qualidade precisam ficar atentos aos índices, dados e performances que de fato podem intensificar o sucesso de processos de produção e distribuição de produtos e serviços.

É importante acompanhar cada tipo de dado e ação para verificar se determinado objetivo de um projeto pode ser alcançado com sucesso.

Atingir cada tipo de meta é fundamental para a empresa identificar caminhos, atingir objetivos e obter maior excelência.

O que são indicadores de entrega?

Esse tipo de indicador pode estar atrelado ao KPI (Key Performance Indicators) ou Indicadores Chave de Desempenho que servem para a avaliação e medição de desempenho de processos.

Ajuda a visar e orientar processos, bem como identificar aspectos que precisam ser melhorados em diferentes procedimentos produtivos e empresariais.

Na logística

No campo da logística, por exemplo, as ações de controle e acompanhamento desses dados podem ajudar muito nos setores de aquisição e controle de matéria-prima, transporte, armazenamento e movimentação de produtos.

Pode também orientar a gestão de estoques e métodos de qualidade para aprimorar processos.

A seguir apresentamos quatro indicadores mais importantes para otimizar os projetos numa empresa.

1 - On-Time delivery (OTD)

Quando utilizamos o On-Time delivery nos referimos a um processo que permite medir percentual de pedidos entregues dentro prazo planejado.

Porém, não considerar especificações dos itens, estando estas certas ou não. Ele é usado para confirmar o tempo e os prazos da entrega.

Esse método exige mediação diária com nível de qualidade acima de 90% a cada 100 entregas realizadas.

2-  On-Time & In-Full (OTIF)

Também podendo ser entendido como um complemento do OTD, o OTIF trata-se da quantidade de entregas realizadas no prazo e na quantidade exata que o cliente pediu. A logística deve buscar os dois indicadores, porém deve-se medi-los de forma separada, pois o OTD se trata de uma forte avaliação da expedição e logística de outbound e o OTIF uma forte avaliação mais voltada à gestão de estoques e logística conjunta.

3 - Tempo de ciclo do pedido

Esse método se concentra no tempo ou prazo que inicia com a data de realização de pedido até a data da entrega. A mediação pode ser diária, mensal, trimestral, feita por cliente, linha de produto, serviços ou por conjunto de pedidos.

Exige a realização de cálculo para avaliar possíveis atrasos em processos de transporte e de entrega. Um determinado atraso pode, por exemplo, acontecer pela ausência do produto.

4 – Índice de ocorrência

Outro indicador importante é referente ao índice de ocorrência, principalmente, quando determinado projeto ou evento não esperado acontece.

Geralmente, mesmo que não seja um acidente, ele pode identificar situações de extravio, avarias, troca, devoluções ou perdas inesperadas.

Para cada situação é necessário a aplicação de soluções personalizadas para melhorar o desempenho logístico.

Bônus: Tempo de atraso das entregas

Outro indicador de entrega importante é referente ao de tempo das entregas. O tempo de atraso utilizado como indicador ajuda a precisar o tempo de atraso de entregas, medindo a eficiência da empresa em seu projeto logístico.

Portanto, selecionar e utilizar os processos de uso indicativo de análise de dados e correção de eventos é fundamental. Pois, conforme a situação ou valor identificação, a empresa deverá reavaliar as suas ações e estratégias.

O principal foco sempre será o de reduzir burocracias, perda de qualidades e desvio no processo de envio e entrega.

Leia também: Entenda os Principais KPIs da Logística

Entenda os Custos, Despesas e Investimentos do seu negócio

Os custos, despesas e investimentos são parte essencial da rotina administrativa e gestora de uma empresa.

Elaborar um projeto de gestão implica maior nível de controle sobre esses três requisitos.

Porém, existem diferenças entre os três, principalmente, na compreensão do fluxo de entrada e saída de recursos e receitas financeiras.

O que são custos, despesas e investimento?

No setor de administração, contabilidade e gestão de uma empresa é fundamental existir uma melhor compreensão sobre os conceitos desses três pilares do controle de verba, receita e gastos da empresa.

Esse cuidado, independente do porte da empresa ou da cooperativa, é fundamental para a atualização de todos os dados.

Todo os valores financeiros que saem do caixa da empresa podem ser considerados como gastos e o gastos abrangem esses três requisitos de tratamento do dinheiro na empresa.

Dessa forma, tudo o que é desembolsado é considerado gasto (saída) no caixa da empresa.

Os custos

Quando uma empresa adquire ou produz mercadoria ela gera custos para o seu fluxo financeiro. Esses custos podem estar envolvidos com a matéria-prima, mão-de-obra e esforço de fabricação, depreciação, manutenção e conservação.

A empresa ainda terá que calcular os custos diretos e os custos indiretos.

Os diretos se referem à elaboração de produto e serviço ofertado pela empresa gerando a necessidade de mão de obra, aquisição de matéria-prima e contratação de serviços.

Os indiretos estão ligados à produção de um determinado bem ou serviço de forma indireta abrangendo atividades como manutenção, limpeza, almoxarifado, logística, energia elétrica, alimentação e demais responsabilidades.

Despesas

Quando falamos em despesas, nos referimos aos gastos ligados com a manutenção da estrutura para o alcance do objetivo do negócio.

Refere-se ao pagamento do aluguel da sede da empresa, condomínio, taxa fixa de energia elétrica, taxa de serviços internos, salários, entre outros. Ou seja, estão referentes à manutenção da atividade da empresa.

Investimentos

Quando a empresa gerar um recurso financeiro para elevar o retorno ou lucro da empresa, podemos dizer que ela está investindo.

Pode estar ligado com a compra de novos equipamentos para abertura de novas linhas de produção, remodelação da sede, reforma do ambiente interno e externo da sede da empresa, compra de cursos para os funcionários, contratação de palestrantes ou consultores, desenvolvimento de um novo departamento interno, criação de uma nova campanha de comunicação, logotipo, entre outros.

Investir busca aumentar a receita e o retorno da aplicação de produtos e serviços da empresa no mercado.

Referem-se aos gastos em produtos, bens e serviços que possam melhorar procedimentos, qualidade e processos para gerar benefícios financeiros e mercadológicos a médio e longo prazo.

O investimento pode ser considerado como uma espécie de gasto ou despesa positiva, mas deve ser considerado como um gasto para gerar benefícios.

Portanto, conhecer a diferença conceitual entre os três é importante para nortear as decisões da empresa.

Neste artigo, apresentamos as diferenças de cada um e especificamos o caminho de gestão que cada empresa deve estabelecer em sua rotina organizacional.

Leia também: 3 Custos que sua empresa pode reduzir hoje mesmo

Abertas inscrições gratuitas para evento virtual sobre logística

O evento promovido por uma Faculdade de Petrolina, será realizado no dia 18 de junho, às 19h.

Informações do Portal G1 Petrolina | 08/06/2020 16h09

Estão abertas as inscrições para o debate virtual “Logística em pauta: Armazenagem e distribuição em tempos de crise”, conduzido pelo gerente de Armazenagem, Pedro Celso Martins. O evento promovido por uma Faculdade de Petrolina, será realizado no dia 18 de junho, às 19h.

Os interessados em participar devem se inscrever gratuitamente através do site. Outras informações através do telefone (74)9 9110-2918.

Conheça também os Treinamentos Deverhum:

Supply Chain Management | Sales and Operations Plan - S&OP | Strategic Sourcing | On Demand

+25 anos entregando resultados
Profissionais com larga experiência em empresas de grande porte

Treinamentos in-company
Levamos nosso know-how para dentro da sua empresa

Consultoria
Temos a melhor solução para desenvolver seu capital humano e buscar resultado

On Demand
Montamos treinamentos personalizados a medida de cada cliente.

3 Custos que sua empresa pode reduzir hoje mesmo

Sabemos que reduzir custos é crucial para o sucesso de seu negócio. Empresas que gastam mais do que arrecadam estão fadadas ao fracasso e à falência.

Mesmo que um produto ou setor da empresa seja a “vaca leiteira”, ou seja, esteja gerando muita receita, a empresa em sua estrutura pode ficar comprometida quando outros produtos e setores não estão gerando bom retorno de mercado.

Ressaltamos que, o crescimento de uma empresa depende de sua arrecadação (geração de receita) e o quanto ela gasta seja para cobrir custos ou despesas.

Reduzir custos

A empresa precisa saber implementar uma política de redução de custos e despesas, pois mesmo que ela venda muito e fidelize seus clientes, os resultados podem ficar comprometidos se os custos forem muito altos.

Dessa forma ela não crescerá no mercado de forma sustentável, pois um dos principais objetivos é alcançar lucro e condições de crescimento no mercado.

Mas, para fazer os cortes certos é importante planejamento e estudo estratégico.

Custos e despesas

Muitas pessoas e administradores ainda podem ter dúvidas sobre o conceito de custos e despesas.

As despesas são inerentes aos valores fixos que a empresa precisa cumprir como pagamentos de salários de funcionários, com investimentos de marketing, entre outros.

Os custos são ligados com o valor gasto com a produção de mercadorias, matéria-prima, mão-de-obra, energia elétrica, depreciação de máquinas, entre outros.

A seguir apresentamos três dicas que podem ajudar a sua empresa a economizar mais e realizar cortes estratégicos.

1 - Papel e impressão

Em muitas empresas, o gasto com papel e impressão pode comprometer a saúde financeira da empresa.

Muitas vezes, as empresas podem achar os gastos com papel, fotocópias e impressões, por exemplo.

Além da consciência ambiental em querer reduzir o uso de papel, é importante adotar práticas como o uso de plataformas digitais e de aplicativos para evitar o excesso de papel.

2 - Energia elétrica

Se a conta de luz preocupa dentro de casa, imagine numa empresa e numa fábrica. Lembramos que o descontrole da conta de energia elétrica pode comprometer muito o cálculo de custos e despesas de uma empresa.

Para reduzir esse tipo de gasto, é indicado reduzir o uso da eletricidade em cômodos vazios ou sem uso, saber aproveitar a luz solar, manter lâmpadas led e econômicas sempre bem instaladas.

Mesmo no verão, o ar condicionado deve ser utilizado com moderação, sem abusar da potência do equipamento. Em certas horas do dia é indicado abrir bem as janelas e manter o ar desligado.

3 – Café e água

Cuidado com o desperdício de café e água para visitantes e funcionários. Deixar os funcionários lanchar durante o expediente não significa abusar no cafezinho e tomar café o dia inteiro.

A oferta excessiva de água mineral e de café pode sobrecarregar nas contas da empresa.

Outra dica é ensinar os funcionários a utilizarem canecas individuais para reduzir os gastos com copinhos de plástico e assim também respeitar a natureza.

Muitas empresas têm adotado uma medida de fornecer aos funcionários xícaras individuais (de porcelana ou metal) e copos de produto reaproveitado (Ex. fibra da casca de coco). Essa medida também foi adotada por um dos clientes da Deverhum Consulting e está gerando redução de custos e a empresa está alinhada com os programas de conservação do meio ambiente.

Planejamento de Custos

Crie um plano de gastos e estabeleça uma meta mensal, a partir daí tente obedecer o limite deste plano e aos poucos vá adaptando a rotina da empresa.

Muitas vezes adquirir produtos de qualidade que durem mais do que os de segunda linha, costuma gerar uma boa economia no final de mês. O segredo para reduzir os custos, é ficar atento ao dia a dia da empresa e falar diretamente com seus colaboradores.

Para continuar acompanhando nossos conteúdos, siga nossa página no facebook ou linkedin.